Sinopse: No parapeito de uma janela de banheiro no 11º andar do First Union Bank,
Nate só tem mais um objetivo na vida: reunir a coragem necessária para
saltar e acabar com os seus problemas.
De repente, ele ouve tiros
dentro do banco e, ao espiar o que está acontecendo, vê uma cena
terrível: criminosos mascarados disparando cruelmente em qualquer um que
se coloque em seu caminho.
Enquanto sustenta o olhar de uma
mulher agonizante, Nate toma uma decisão. Lançando mão de seu
treinamento militar, ele consegue render e matar todo o grupo, exceto o
seu líder. Antes de escapar, o homem deixa claro que ele se arrependerá
de seu ato heroico.
Ele está certo. Em poucos dias, Nate é
sequestrado pela máfia ucraniana e recebe uma ameaça: precisa voltar ao
banco e concluir a tarefa que os bandidos não puderam cumprir. Do
contrário, sua ex-mulher – pela qual ainda é apaixonado – e a filha
adolescente, que não o reconhece mais como pai, serão brutalmente
assassinadas.
Enquanto o tempo corre de maneira implacável e o
prazo de Nate se aproxima do fim, ele luta não só para salvar as duas da
morte, mas também para recuperar sua confiança e seu amor.
“Daquela altura, os carros pareciam dominós, e os pedestres, pontinhos a
perambular. Um vento frio soprava incessantemente, refrescando os
pulmões de Nate cada vez que ele inalava – ali, tão perto do mar, já não
havia sinal da tão alardeada poluição de Los Angeles. A oeste o
trânsito se dissipava nas falésias de Santa Mônica, paredões que
terminavam abruptamente na areia branca das praias e na eternidade do
oceano. Fossem outras as circunstâncias, Nate teria apreciado a beleza
da paisagem.”

Adoro historias contadas em terceira pessoa, nessa temos o ponto de vista de
diferentes personagens, o que permite uma visão mais completa da
história, assim dá para ter uma noção melhor do todo, além daquela parte em que o protagonista
está inserido. As cenas de ação são muito bem dosadas com as de
desenvolvimento pessoal de Nate e a leitura tem uma boa fluidez.
Há algumas referências de cultura pop contemporânea em algumas cenas, inclusive uma Lady Gaga ali hahaha.
“Você é o único homem que quero do meu lado. Ás vezes tenho a impressão
de que era em você que eu pensava quando tinha 9 anos e ficava
imaginando um namoradinho. Amo você demais para deixar que a gente vire
um casal de estranhos. Isso acontece com muitas pessoas. Mas não vai
acontecer com a gente. Ter você como um estranho a meu lado seria pior
do que não ter você de jeito nenhum.”
O Sobrevivente é um bom suspense, têm muita tensão, mas
alguns detalhes que podem ser previstos em uma leitura atenta. Gostei de como a trama caminhou, a
história é recheada de ação do início ao fim, mas equilibrada com
algumas cenas mais calmas. Desde o inicio do livro eu tive a sensação de estar vendo um bom
filme de ação, daqueles com suas cotas de lutas sangrentas e explosões,
mas também de uma trama que convence e cativa o espectador. 

Cada personagem têm sua trama e um tempinho para seu desenvolvimento, e é
impossível não gostar de cada um deles, seja dos vilões ou das vítimas.
Nate me conquistou logo no começo através de sua dor que o fizera escolher
morrer, mas em seguida por sua determinação em fazer o que é certo e em
proteger quem ama. Assim como conquista o perdão da família, Nate
conquista o perdão do leitor ao fazer de tudo para consertar as
consequências de sua escolha.
“A doença ensina que nenhuma parte do nosso corpo é sagrada […] Mas que outras pessoas são.” 
O Sobrevivente é um livro para ser lido sem grandes pretensões. Não
espere um grande mistério permeando toda a trama ou um plot twist, ou sei lá, um final bem inesperado. Trata-se apenas de acompanhar a jornada de Nate em
resolver seus problemas e as situações de risco em que se envolveu.Espero que tenham curtido a resenha, têm algum livro para indicar? Deixa ai nos comentários.
Categories: Uncategorized

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *