Sinopse: Há três anos, a colunista Theresa Osborne se divorciou do marido após
ter sido traída por ele. Desde então, não acredita no amor e não se
envolveu seriamente com ninguém. Convencida pela chefe de que precisa de
um tempo para si, resolve passar férias em Cape Cod. Durante a semana
de folga, depois de terminar sua corrida matinal na praia, Theresa
encontra uma garrafa arrolhada com uma folha de papel enrolada dentro.
Ao abri-la, descobre uma mensagem que começa assim:

“Minha adorada Catherine, sinto a sua falta, querida, como sempre, mas hoje está sendo especialmente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é a da nossa vida juntos.”
Comovida
pelo texto apaixonado, Theresa decide encontrar seu misterioso autor,
que assina apenas “Garrett”. Após uma incansável busca, durante a qual
descobre novas cartas que mexem cada vez mais com seus sentimentos,
Theresa vai procurá-lo em uma cidade litorânea da Carolina do Norte.
Quando o conhece, ela descobre que há três anos Garrett chora por seu
amor perdido, mas também percebe que ele pode estar pronto para se
entregar a uma nova história. E, para sua própria surpresa, ela também.
Unidos
pelo acaso, Theresa e Garrett estão prestes a viver uma história
comovente que reflete nossa profunda esperança de encontrar alguém e
sermos felizes para sempre.

“Num mundo que eu raramente compreendo, existem ventos do destino que
sopram quando menos esperamos. Às vezes sopram com a fúria de um tufão,
às vezes mal tocam nossa face. Mas eles não podem ser negados, trazendo,
como muitas vezes fazem, um futuro impossível de ignorar.”
Como é de se esperar, a narrativa de Nicholas Sparks segue o mesmo padrão, emocionante e
apaixonante e aquela boa e velha receita de bolo que já é do estilo de escrita do
autor, estilo esse que nos deixa sempre com o coração em frangalhos,né? Esse é, provavelmente, um dos livros mais românticos do autor. Um
romantismo clássico, do tipo que infelizmente têm sido esquecido. Isso
já fica nítido pela forma como os protagonistas se encontram: através de
uma carta de amor jogada no mar dentro de uma garrafa.
Como de costume com a maioria dos livros de Nicholas Sparks esse também ganhou uma
adaptação cinematográfica em 1999 estrelado por Kevin Costner e Robin
Wright nos papéis principais, eu ainda não assisti ao filme, mas se vocês quiserem posso pedir para minha mãe vir resenhar ele aqui haha.  
“Como o curso de todas as garrafas entregues aos caprichos do oceano, o
desta era imprevisível. Os ventos e as correntes têm papel importante na
direção de qualquer garrafa; tempestades e detritos boiando à deriva
também podem mudar seu rumo… Não há como prever onde uma garrafa pode ir
parar, e isso é parte do mistério.” 
Acho que o mais curioso e interessante para mim foi o fato da historia se passar
numa época em que a internet estava só começando e nem era tão usada assim, então
se deparar com as pesquisas feitas por telefone e biblioteca é muito
interessante, o livro foi escrito na década de 90, incrível como em pouco anos tudo mudou, né?
“Mas agora, sozinho em casa, acabei compreendendo que o destino pode
ferir alguém, assim como pode abençoá-lo, e fico perguntando por que,
entre todas as pessoas no mundo que poderia ter amado, tive que me
apaixonar por uma que foi levada para longe de mim.”  
CATEGORIAS:Uncategorized

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *