como negociar e usar seu Dinheiro para ser Feliz
Finanças

Como negociar, pechinchar e ter os melhores resultados

Como negociar, pechinchar e ter os melhores resultados

As emoções desempenham um papel importante na negociação, mas não podem orientar o negócio ou a sua resposta a ele. Você precisa ser capaz de ficar esperto sobre o negócio em questão e não ser emocional sobre uma negociação difícil ou um negócio que se desfaz.

Às vezes as coisas não dão certo, e você não precisa arruinar uma amizade ou o potencial para uma futura parceria. Um bom negócio é aquele que é melhor para ambas as partes.

Se os detalhes não estiverem juntos e você não puder alcançar termos mutuamente benéficos, esteja disposto a dizer “não” e sair sem ressentimentos. A verdade é que a negociação é uma habilidade como qualquer outra – e qualquer um pode dominá-la.

Então, se você está negociando um salário melhor ou tentando fechar um acordo imobiliário, aqui estão as principais dicas que ajudarão você a fazer seu próximo acordo de sucesso acontecer.

Você sabe como pechinchar? Conheça os segredos da arte de conseguir desconto

Escutar: Sua maior ferramenta na hora de negociar

Ouvir é uma habilidade bastante subestimada no mundo de hoje. É tão fácil assumir o que os outros estão dizendo OU terminar o que os outros estão dizendo antes mesmo deles pensarem em concluir a frase. Ouvir é definitivamente uma daquelas coisas que vem mais fácil para os outros.

Ouvir, fará com que a outra parte se sinta respeitada e construirá confiança (outro aspecto muito importante em qualquer negociação). Ouvir envolve garantir que o que você ouviu está correto.

Busque um resultado vantajoso para todos

Quantas vezes você está tão focado em conseguir o que quer em uma negociação, você nem pensa na outra pessoa? Negociações onde ambos os lados saem ganhando tendem a ter mais sucesso.

Procure semelhanças

Outro aspecto fundamental para negociar é estar atento a coisas que você e a outra parte compartilham em comum. Quando você pode compartilhar um interesse comum ou encontrar um terreno comum com outra pessoa, eles terão mais dificuldade em entrar em confronto com você.

Amplie a oferta

Às vezes, quando estamos em negociação, ficamos tão centrados na única coisa – esquecemos que pode haver outras possibilidades. Quantas ofertas de mudança de vida e de crescimento não foram concluídas porque os dois lados não conseguiram ver o valor que poderiam criar juntos?

Conecte-se em um nível pessoal

A conexão humana é primordial na negociação, e sua atitude e energia irão definir o tom e afetar o resultado. Em outras palavras, se você for preparado para uma guerra, é exatamente isso que você experimentará.

Por outro lado, se você espera que você faça um acordo que satisfaça os interesses de ambas as partes, é muito mais provável que você tenha esse resultado.

Começa com uma mentalidade. Você precisa deixar de lado a ideia de negociação como uma disputa entre dois adversários e, em vez disso, perceber que está trabalhando com a pessoa do outro lado da mesa, com o objetivo final de criar um acordo mutuamente benéfico.

Para chegar lá, você precisa se conectar.

Não se esqueça: é quase impossível se conectar com alguém pelo telefone, pelo Skype e, principalmente, por e-mail. As reuniões cara a cara são sempre o caminho certo a percorrer.

Tenha em mente que a linguagem, tanto verbal quanto não verbal, é importante. Sua linguagem corporal e tom devem ser relaxados, nunca confrontantes.

Saiba com quem você está lidando

A maioria dos negócios não é feita porque um lado não sabia o suficiente sobre a outra parte. Para fazer um acordo acontecer, você tem que saber o que o outro lado quer. E para saber isso, você precisa conhecer a outra parte – seu histórico, necessidades, motivações.

O que os tira da cama de manhã? O que os mantém acordados à noite?

Então, como você chega lá? Não há atalho. Você tem que fazer sua pesquisa e fazer muitas perguntas desde o início. Um erro comum que vejo o tempo todo no progresso é a tendência das pessoas a assumir que a outra parte é como nós – que a lógica interna é exatamente a mesma que a nossa, que eles têm os mesmos desejos, medos e motivações que nós.

Quase nunca é o caso.

Se você entende de onde eles vêm, você também pode explicar as coisas em termos que sejam significativos para eles e estará mais bem preparado para se adaptar ao diálogo à medida que os termos mudam.

Divulgue o máximo de informações possível

Informação cria confiança. Quando você mantém suas cartas muito debaixo da manga, as pessoas se tornam cautelosas. Abra e compartilhe o máximo de informações que puder com as pessoas para dar a elas toda a extensão do seu pensamento.

Isso só fará com que o resultado desejado pareça menos estranho.

Não use prazos

A maioria das pessoas acha que os prazos ajudam em grandes negociações, mas quase nunca o fazem. Em vez disso, eles geram mais irracionalidade e irritabilidade e provavelmente sabotarão seu negócio antes que ele saia do papel.

Não tenha medo de pensar grande!

Finalmente, pergunte-se: você está pensando grande o suficiente? Apenas fazer um acordo nem sempre é suficiente. O que mais poderia ter sido feito? Mais uma vez, isso se resume à confiança que vem com o verdadeiro conhecimento da outra parte.

Se você souber que tem uma ideia ou um produto que agregue valor aos negócios deles, confie em perguntar o que acha que vale a pena. Você nunca vai conseguir coisas que você não pede.

Colocando tudo em prática

Normalmente, é importante lembrar o que não fazer. Certifique-se de evitar essas armadilhas comuns:

  • Não assuma que a lógica interna das outras pessoas é semelhante à sua. Exercer verdadeira empatia para determinar as motivações da outra parte.
  • Não acredite no mantra “é só negócio”. Todo negócio é pessoal, e essa frase é geralmente apresentada como uma desculpa para maltratar as pessoas.
  • Não use poder e alavancagem. Fazê-lo coloca a negociação no âmbito do puramente transacional, o que geralmente é ruim para ambas as partes.

Agora vá lá e faça mágica acontecer.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: